Notícias

10 maneiras de usar a música para melhorar o desempenho no treino

Jamais subestime o poder da música. O ritmo escolhido na hora de malhar pode fazê-la dar aquele gás extra no fim da aula ou levar seu treino inteiro por água abaixo num instante. A seguir, a ciência e especialistas ensinam você a usar a música para melhorar o desempenho no treino, veja!

1. Um grupo de cientistas norte-americanos descobriu que a playlist para treinar certa potencializa seu desempenho, aumentando sua motivação antes mesmo de você começar a se exercitar, mantendo-a focada durante todo o esforço e recuperando seus músculos posteriormente. “A música estimula o córtex motor, região do cérebro diretamente ligada à movimentação”, explica Karina Rodrigues, psicóloga, professora e especialista em neurociências pela Universidad de Jaén, na Espanha.

2. O segredo para melhorar seu desempenho no treino com música é condicionar o organismo a associar a música imediatamente à disposição. Fazer isso é simples: escolha uma canção que você ame e que tenha um ritmo ou uma mensagem que a faça querer se mexer – as batidas por minuto não importam tanto aqui, o que vale é se identificar com o que está ouvindo. Ouça-a, malhe, repita-a no dia seguinte e sempre que for treinar. Em apenas duas semanas, a conexão se tornará automática. “Esse processo ativará o sistema límbico, responsável pelas emoções. Quanto maior essa ativação, mais animada você ficará”, esclarece o neurocirurgião Fábio Godinho, de São Paulo.

3. O sistema citado acima também controla os níveis de adrenalina e cortisol, hormônios que atuam no aumento da atividade cardiorrespiratória. Depois de um tempo, você chegará a um ponto em que só de ouvir a canção já acelerará os batimentos cardíacos e a respiração, mesmo se estiver sentada no sofá. Para garantir disposição por mais tempo, tente criar essa associação com mais três ou quatro músicas.

4. Curtir uma música para treinar pode ter o mesmo efeito de suplementos que aumentam o desempenho, segundo uma pesquisa publicada pelo International Review of Sports and Exercise Psychology.

5. Canções podem melhorar sua resistência e força de tal maneira que você não se sentirá tão cansada ao praticar atividades físicas intensas, uma vez que elas a distraem da obsessão por queimar calorias. “A música funciona como um estimulante, deixando você em um estado mental em que se sente capaz de tudo, inclusive se doar um pouquinho mais ao treino”, afirma Godinho.

6. Pesquisadores da Universidade de Brunel, em Londres, descobriram, ainda, que ouvir a melodia correta pode deixar a corrida na esteira 10% mais fácil. Além de fortalecer a mente e ajudar a abafar aquela vozinha chata que insiste em convencê-la a desistir, a canção diminui a produção de ácido lático, substância responsável pela sensação de queimação nos músculos, obrigando-a a diminuir o ritmo ou até mesmo parar o exercício. “Com a redução do ácido lático, você consegue se exercitar por mais tempo”, destaca Karina.

7. Boa notícia para as preguiçosas de plantão: recorrer ao mp3 ajuda a criar e manter uma rotina fitness com muito mais facilidade. Na mesma pesquisa realizada em Brunel, cientistas verificaram que a frequência de idas à academia aumentou 20% quando os participantes ouviam música durante o treino.

8. Fica a dica: em vez de selecionar 100 canções e embaralhá-las no shuffle, programe-as de forma científica. Como? Cronometre a duração da aula e escolha “a” música para os minutos finais. Ah, e opte por aquelas cujo compasso seja parecido com o da atividade física em questão. “Use e abuse de músicas que lembrem coisas boas e que transmitam a sensação de superação. Canções da adolescência, por exemplo, ou muito conhecidas e estimulantes são ótimas”, aconselha Karina.

9. Após horas a fio de esforço e suor, é hora do corpo relaxar, restabelecer e construir os músculos. Quanto mais rapidamente você entrar em repouso, mais veloz será a recuperação da musculatura. Um estudo apontou que os atletas que ouviam músicas lentas depois do exercício demoraram menos tempo para baixar os batimentos cardíacos em comparação àqueles que escutaram canções agitadas ou desligaram o som. “Ouvir algo tranquilizante após uma atividade física intensa facilita o funcionamento do sistema nervoso parassimpático, que diminui a frequência cardíaca, a pressão arterial e o consumo de energia, recuperando os músculos”, conta Godinho. Para finalizar o treino, escolha duas músicas relaxantes e dê uma leve caminhada ou faça um alongamento suave. Depois, é só dar o play de novo no dia seguinte!

10. Músicas calmas não são usadas apenas para recuperar músculos, mas também para aumentar o desempenho de atletas em esportes que demandam atenção extrema. Um estudo norte-americano realizado com ginastas de alto nível mostrou que aquelas que ouviram canções mais lentas antes de uma competição apresentaram uma grande melhora no foco e no rendimento durante suas apresentações.

Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/